12 outubro 2011




Relato aos que não foram...( ou uma carta infame destinada a quem não sabe ler...)


- Nem Nietschze, nem Rousseau, nem Voltaire, nem Elvis, talvez nem mesmo Homero.


Nem Erasmo ( não o "Tremendão", e sim o de Roterdã ) , nem nenhuma alma do "Inferno", do "Purgatório" ou do "Paraíso" de Dante, nem mesmo sua casta e venerável Beatriz. 


Nem Goethe, nem Darwin, nem Agamennon,  muito menos Kant, talvez nem mesmo Diógenes dentro do seu barril procurando " o homem " .


Nem Virgílio, nem Cervantes, nem Jorge Amado, quiça nem mesmo Machado de Assis. Mas nem os Beatles com a percepção afogada em LSD...


Nem mesmo Michelangelo, nem Zaratustra,nem Comte, nem Grouxo e nem Alexandre, dito o  "O Grande". Nem Prestes, nem Getúlio, nem Verdi.


Nem Da Vinci, nem Rafael, nem Oscar Wilde, nem Marx,nem Stuart Mill, nem Engels...nem Proudhon em seus mais anárquicos devaneios, na "Filosofia da Miséria".


Nem Zeus Pai, nem Palas Atena, nem Hera, nem Deméter, nem Baco, nem Apolo  e nem Afrodite de róseos dedos...


Nem Spielberg, nem Garcia Marquez, nem Teseu, nem Picasso, nem Galileu...


Nem Raul, nem Garrastazú, nem São Jorge ( nenhum dos santos ), nem Luciano Huck, nem Buda, nem Ghandi. Nenhum corinthiano, nenhum flamenguista, nenhum udenista , nem o Roger do Ultraje.


Nem Pitágoras, nem Tales, nem Dalí, nem Hitler, nem Anaximandro ou Anaxímenes...


Nenhum sofista, nenhum órfico, nenhum niilista, nenhum padre ou sacerdote. Bispo e cardeal então...


Nem lá nos confins do Hades, talvez nem Perséfone com seu fiel Cérbero , nem mesmo qualquer alma que atravessou o Estige ou o Aqueronte de sangue borbulhante no barco de Caronte...


Nenhum dos Jesus, nem o da Madonna , nem o Cristo.


Nem Ulisses, nem Aquiles, nem Menelau, nem Heitor, nem Páris, muito menos Hércules , nem Ajax e nem mesmo Prometeu, o ladrão do fogo sagrado, nem seu estúpido irmão Epimeteu, o 'que percebia depois'. Quem imaginou ?


Nenhum dos Jesus, nem o da Madonna , nem o Cristo.


O que ficou no jarro de Pandora ? A esperança ou o conhecimento ?


Especulou-se durante mais de dois mil e quinhentos anos : a intríseca maldade que existe dentro do próprio homem, os seus incontáveis vícios, o desejo incontrolável por sexo, a volúpia, o incesto, a perniciosa, pulsante e rebelde cultura que faz pensar, o vil metal, a usura, a "tendência anti-natural" do homosexualismo, a inveja, a escravidão, a industrialização, o capital, o salário, até as drogas, o vinho, a aguardente ou o adultério, a religião, em excesso ou na falta dela.


Penso que o mal do homem nasce da sua sabedoria, da sua inteligência. Da ilusão de que tem algum conhecimento. Saber é mal visto, saber é pernicioso, saber é ultrajante, o saber ofende e agride a quem não sabe. Poderia ser uma doença contagiosa, mas Deus é também um sábio e não quis abortar no nascedouro a felicidade da imensa maioria dos homens.


Sim, porque ser estúpido é ser feliz. É viver sem preocupação, sem sobressaltos. Que importa que a Nasdac caiu ? Quem se interessa com a queda do dólar e com o desemprego nos USA ? Pra que saber qual a capital da Líbia se o assunto é quem vai ser eliminado da Fazenda ?


Um filósofo desses bem antigos ( o nobre La Rochefoucault ) disse que tem quem saiba ( ou queira saber ) por necessidade ou apenas por lhe ser útil, de alguma forma, e que esse se contenta em saber o mínimo necessário sobre aquilo em questão, e tem quem saiba ( ou queira saber ) apenas pelo prazer ou pelo desejo de saber ( mais do que os outros ? ) , e este quer sempre saber o máximo possível sobre toda e qualquer coisa.


O fato é que o saber afasta os amigos, abastece e cria os inimigos, broxa e chateia as mulheres, incomoda os leigos, e incendeia a pleura dos asnos. Tem que saber saber em silêncio. Ou morra só, bi-polar e abandonado, cercado por seus velhos e empoeirados livros.


Os mais estultos cultivam um amor-próprio insofismável, a soberba de nunca sequer admitir estar errado , a incapacidade de voltar atrás na sentença proferida , e a maldita insistência numa opinião completamente desprovida de lógica, de dados ou fontes críveis ou mesmo um mínimo de racionalidade, e que , por isso mesmo , tornam qualquer tese insustentável. Pra quê saber isso ou aquilo ? O  que eu ganho com isso ?


Sócrates ( não o do Corinthians ) costumava esmagá-los todos com sua dialética e seus jogos retóricos e mnemônicos. Tomou a cicuta pela condenação/acusação de " ter conhecimento demais". Não quis fugir. Seria aceitar a acusação, e ele achava que não sabia de nada, ou muito pouco...


Gramática ? Metafísica ? Platão ? Niilismo ? E=mc2 ?
Política ? Economia ? História ? Geografia ? Biologia ? A Origem das Espécies ? Adão e Eva ?


Filosofia ? Ética ? Literatura ? Arte ? Pereira Barreto ? Positivismo ou utilitarismo ?


Gestão ? Fuxo de caixa ? Treinamento ? Planejamento ?


Recursos humanos não é departamento pessoal. Funcionário roubar não é "da natureza do ser humano". Incompetência não é "ônus" nem "custo". Caixa dois não é "necessidade". Leis trabalhistas tem que ser respeitadas. Humilhar peão sai caro na Justiça Trabahista. Mas ninguém entra com processo com medo de não arrumar emprego depois...


Político desonesto não é normal. Estupro também não. Pedofilia existe aí, do seu lado, e é uma aberração. Falta de educação também é. Ser grosseiro nunca foi e nunca será sinal de "gênio" forte. É simplesmente a afirmação da ignorância. Não ouvir e não desejar aprender é solidificar uma situação plena e facilmente reversível. Basta ter interesse e curiosidade.


Nosso legado : corrupção. Incoerência. Desonestidade. Violência. Desrespeito. Impunidade. Conivência. Injustiça. Imoralidade. Prostituição.Falta de educação e de noção. Pobres dos nossos filhos e netos. A crise é moral e de princípios, e, creio, já está no patamar do irreversível.


Não há quem não diga que é falta de Deus. Afirmo que é falta de discernimento mesmo.


A estupidez tá no nosso sangue, na nossa alma, no nosso DNA. Vou citar o exemplo das mulheres, mas poderia citar outros dez, como a escravidão , as guerras ou o capitalismo.


O Fédon , diálogo platônico que versa sobre a imortalidade da alma, não poderia ser mais claro. A sobremesa do "Banquete" de Aristóteles foi servida por escravos, e por isso, o filósofo, que guiou com a áura de seu intelecto a humanidade até quase duzentos anos atrás, tem menos credibilidade que o ex-escravo Fedro e suas fábulas maravilhosas, aonde passáros dão lição de moral em sapos e porcos ensinam ética aos cães.


Claro que Aristóteles seguiu o pensamentos de Platão, seu mestre, que incorreu no mesmo erro, na sua República utópica.

Achavam que escravos, bárbaros ( qualquer um que não fosse grego ) e mulheres não tinham alma, muito menos inteligência. Que era legítimo subjugar, estuprar, matar, despojar e roubar os derrotados nas batalhas. Afirmavam que era uma temeridade dar ouvido aos palpites e fuxicos femininos. Tanto que elas só foram ter o prazer do voto ( talvez a expressão máxima da opinião ) já no século XX. Esse foi o grande legado helenísta pra posteridade. 


Aonde estão as grandes filólogas, as grandes filósofas, as grandes pintoras, as grandes cineastas , as grandes escritoras, as grandes líderes ? Mulheres não podiam estudar, e as (poucas) excessões confirmam a regra. Essas imbecilidades ( e muitas mais ) frearam e atrasaram o desenvolvimento e disseminação do conhecimento humano por séculos.


Quantos ditos hereges foram queimados em fogueiras ? Afirmar que a terra era redonda custou Galileu e diversos outros ...

Se Dilma é um exemplo a ser seguido , como mulher, como tenho lido frequentemente por aí, teria muita vergonha de ser mulher. Preferiria me espelhar em Circe, em Climnestra, em Helena, em Messalina, em Maria Antonieta, na Marquesa de Santos, dona Beija ou Cleópatra, mulheres pelo menos com atitudes e suas verdades...e não me venha com aquela conversinha de que "poderia ser pior". Acredito que necessariamente DEVERIA ser melhor. A mulher pode sim mais que o homem.


Poxa, quem se orgulha de uma presidente que não sabe conjugar um verbo, que comete erros primários de português e concordância, que nitidamente repete frases feitas, e que quando arguida mais veementemente, simplesmente dá um tilt e não sai mais nada ?


Sabe por que admiro tanto as mulheres ? Toda a mulher, em tese, é uma puta, uma quenga, uma vadia, uma devassa. Por opção não dela própria, mas por decisão ( impensada e por isso, burra ) de nossas antepassadas. Isso desde que o homem desceu da arvore ( ou saiu da caverna) cercou um pedaço de terra e disse "é meu e ninguém tasca" fundando a sociedade civil e a propriedade privada tal como as conhecemos hoje. 


Calma, mulheres, que eu explico !! 


Quando nos primórdios da humanidade, vocês deixaram o direito paterno ( aquele que dá o direito à herança pros filhos legítimos ) se sobrepor ao direito materno até então constituído ( pois até a invenção do casamento, na fase pré-monogâmica, as mulheres eram as únicas responsáveis por educar e alimentar seus filhos, e estes entravam na linha sucessória dos seus tios maternos, a quem chamavam de pai, inclusive pela dificudade de se determinar quem era realmente o pai, por não existir ainda o conceito monogâmico e tambem por desconhecerem , em termos, o processo de fecundação ), vocês acabaram se colocando numa situação de escravidão e servidão cruéis. 


Na Odisséia, a doce Penélope se submetia as ordens de seu filho Telêmaco, o que nos mostra que o poder matriarcal já havia sido substituido pelo direito do herdeiro, pelo patriarca, mesmo que este fosse muito mais jovem que a mãe. Quer maior sintoma de falta de discernimento e visão ?

É sabido que até então ( talvez no século XV a.C. ) existiam casamentos em grupos, onde todos eram esposos de todas, e todas, de todos. O sangue dificilmente saía da tribo. Se faltasse mulher, era simples : raptavam uma na vila mais próxima. E o engraçado disso era que os amigos que ajudavam no rapto, tinham direito de comer a pobre moça antes do mentor e beneficiário do crime.


Isso se confirmou quando os europeus encontraram os indigenas americanos, quando estes invadiram as terras da "Nova Índia" para roubar e forjar suas riquezas às custas do trabalho escravo e engolindo avidamente os recursos naturais dos outros. 

Mas as primeiras civilizações realmente organizadas já haviam passado dessa fase, muitos séculos antes de Colombo chegar a América central, ou seja, já terminara a fase do casamento por grupos, experimentavam-se novos modelos e os líderes tinham mais clara a necessidade de legar o fruto de seu trabalho e os benefícios de seu patrimônio a seus descendentes diretos.


Haviam evoluído para a poligamia ( homem com varias esposas ) ou ainda para a poliandria ( uma mulher para vários maridos ), dependendo da cultura e da tribo, como bem explicaram Bachofen, Morgan e Engels. 


E isso nasceu por um motivo muito singelo, até : manter e perpetuar os bens ( terras, bois e pastos,animais domésticos, artefatos de ferro e bronze, muito valiosos então ) no seio da gens, da tribo consanguínea e dos descendentes, do sangue.

E a mais bela criatura imaginada pelo Criador se submeteu alegremente à idéia da monogamia, achando ter feito um excelente negócio, e assim prostituiu seu poder de ter o livre arbítrio e de poder tomar atitudes, decidir seu próprio destino,e o trocou pela conveniencia de cuidar da casa, do privilégio de fazer a comidinha do maridinho, da nobre tarefa de limpar o cocô dos filhotes, e , principalmente,  de não mais ter que sair pra caçar ou se defender dos perigos da natureza. 


A partir daí, o homem, seu mais novo protetor e proprietário, se incumbiria de trazer o alimento, prover a segurança e pensar, raciocinar, planejar, administrar e adquirir os bens.


A mulher caberia cuidar dos filhos e do lar, no máximo passar os dias a tecer ou a bordar. Obrigatoriamente teria que ser fiel, para garantir a desejada paternidade dos herdeiros do seu senhor, marido, pai e patrão. Mal nasciam e já se sabia com quem iriam se casar.

Já estava vendida. Nesta fase , era comum e aceitável irmão casar com irmã, fora traços indeléveis de incesto e pedofilia, justamente para manter os bens dentro da própria ( mas ainda não denominada ) gens ou família. Esta foi a idéia. 

Até poucas décadas atrás, pra se casar, o homem tinha que pagar um dote pecuniário, cujo valor variava dependendo da classe social ou da formosura da moça. Era mais ou menos como comprar uma salsicha : gostei dessa, quanto custa ? Essa é cheirosa, dá pra fazer um abatimento ?  Parcela ?


Filho homem era o herdeiro natural, já filha mulher, dinheiro em caixa ou uma gorda e rentável poupança. Os prostibulos se encarregaram se eternizar a diferença de preço da mulher, dependendo dos seus atributos físicos. Quanto mais gostosa, quanto mais ela rebolar, quanto mais bunda e mais peito possuir, mais cara vai ser a noitada. Já ouviste falar do Café Photo ? Dançarinas do Faustão a R$ 500,00 a hora...

E estas mulheres foram violentadas e apartadas do seu querer, consentindo e amargurando ignorancia quase eterna, suportando o isolamento, muitas vezes o cárcere privado e o trabalho " doméstico" , quase escravo e não remunerado, por muitos e muitos séculos. Era considerada tão voluptuosa, tão devassa, tão vadia, tão puta que até seus escravos particulares poderiam ser seduzidos por ela, e por isso os castravam ( eunucos ).


Na Grécia antiga, dizem, uma vez por ano, era permitido a toda mulher se entregar a alguém, a seu bel prazer, no templo de Afrodite, a deusa do amor. Quando o homem passou a sentir ciume, isso sumiu, daí nasceu e se formalizou a prostituição, propriamente dita.


Autores clássicos inclusive afirmam que estas vagabas pioneiras eram extremamente consideradas, ouvidas e respeitadas, mas acho que era apenas uma forma a mais de humilhar as mulheres de então.

A verdade é que elas, as meretrizes,  participavam ativamente dos banquetes, dos bacanais, tinham acesso irrestrito a cultura, a musica, aos aedos e peças de teatro,  e, claro, ouviam as conversas dos homens, sendo mais fácil formar uma opinião do que a pobre coitada presa dentro de casa.

Essa entrega a um desconhecido era um adultério consentido, um respiro nos casamentos por interesse que perduraram até (quase ) nossos dias. Mas que tinha um custo bem safadinho por trás : em troca, os homens poderiam ter quantas amantes quisessem durante todo o resto do ano.


E as mulheres, ainda mais humilhadas, faziam vista grossa até pras infidelidades com as escravas, dentro do próprio lar , embaixo das suas fuças, muitas vezes na sua própria cama. Conviviam e suportavam (acolhiam até ) os filhos bastardos, que entravam , em alguns casos, inclusive na partilha de bens.

Claro que o gênio criativo feminino nos coroou com belas galhadas ao longo dos tempos. Uma resposta bem adequada e tipicamente feminina, pelo ardil e pela premeditação do adultério. 


Sufocada por um marido que era mais seu patrão e dono, ardia ( literalmente ) por uma puladinha de cerca, por um flerte, por um olhar. Na escola me ensinaram isso como "amor cavalheiresco", esse pai da poesia moderna, da dor de corno, da literatura romantica, este , o amor proibido, o amor inalcansável e incansável, o amor lúdico, platônico, perigoso. Mas pra mim sempre foi a desculpa de alguém que queria só comer a muher mal comida de outro alguém.


 O que prova que até pra ser corno é preferível ser ignorante. Não saber do chifre e ainda defender a esposa na frente dos fofoqueiros e carolas de plantão, chegar em casa e achar que ela estava mesmo com dor de cabeça, e não cansada por ter passado o dia transando com o amante.


Haja estultícia !

O casamento, como foi concebido pelo homem e praticado pela humanidade através dos tempos, era e é insustentável. A mulher, este monstro que sangra todo mês ( tem pacto com o demônio por isso, diziam os antigos ) e trai, que é frívola e superficial, essa puta não poderia mesmo ter uma consideração maior do que a que se tem por um cão.


O casamento acabou ? Ainda não, mas sustenta-se a duras penas. A mulher ingressou no mercado de trabaho, passou a ser responsavel por seu sustento, e hoje é praticamente o arrimo da familia. Troca de marido como quem troca a cor da unha. É liberada sexualmente, dá pra quem ela quer, talvez com uma sofreguidão tal que reflete a sede de tantos milênios. Os homens ? Tão mansos....


Eu, que amo demais as mulheres, inclusive tendo um lado feminino ( completamente lésbico ) muito forte, dou graças a Deus que isso mudou ( ou vem mudando ). Elas pagaram muito caro por uma escolha equivocada,irrefletida e mesquinha, que só deu poder ao seu algoz, o poderoso, forte, apaixonado e violento homem.


 Mas quem pagou mais caro mesmo foi a humanidade como um todo, pois se viu privada até recentemente da delicadeza, da compaixão, do instinto materno, da intuição, da força de trabalho, da capacidade intelectual da mulher.


Esta demonstrado como a burrice trabalha contra o homem.
Mas falavamos da aversão do homem pelos homens que sabem mais que ele.
Os maus exemplos seguidos pela sociedade não pensante vem sempre de cima, desde sempre, desde Sólon nos primórdios da pólis grega, como nos narra Demóstenes.


Os Calígulas, os Neros, os Luíses XV, os Mussolines e os inescrupulosos e fétidos representantes dos Papas estão aí, impunes, multimilionários e soberbos até hoje. A diferença é que hoje passa ao vivo na TV Senado, ou no JN do Bonner pra quem quiser ver no resumão do dia. 

Mas quem quer saber ?  Quem assiste ? Apenas mais um ralo pro dinheiro coletivo.

A lei é só pra quem não é amigo do Rei de plantão, ou não tem recursos pra bancar renomada banca. Por quê não se dá educação consistente pro povo ? É imensamente mais fácil controlar e manipular os idiotas.


Aliás, parabéns, Rede Globo, vocês conseguiram, com todo o apoio institucional imaginável, e com financiamento ( e interesse ) norte americano ( e do BNDES, claro, que ninguém é de ferro, muito menos os Marinho ), emburrecer dez ou doze gerações de brasileiros.

Disseminaram esta cultura americana viciada, podre, ensinaram as crianças a se prostituir desde cedo, imitando as atrizes nas novelas, que em dez capitulos se deitam com seis ou sete , ensinaram a roubar, a dissimular, a passar pra trás, a desacatar e desrespeitar os mais velhos, não se importando em passar nenhuma mensagem positiva ou construtiva, alegando que isso não dá "ibope".

Imaginem : quase 50 anos fazendo isso, uma concessão publica. Saiba que a UNE não fazia carteirinha, ela fazia passeata. Os jovens pensavam, alguns agiam. Dilminha Furacão é prova viva disso. Muito jovem, já demonstrava sua vocação, sua liderança ao gerar (e executar) planejamentos de assaltos a bancos e a roubo de armas do exército.

 Mensaleiros e bandidos patológicos são reeleitos 'ad nauseum', depois absolvidos na prepotente (in) Justiça , dão de dedo na fuça dos outros como exemplo de retidão moral, riem e tripudiam os poucos que tem a informação correta, descredenciando qualquer critica ou denúncia.


Se apropriam de bens e espaços públicos, embolsam muito dinheiro desonesto e encampam idéias de outrem como se fossem os aqueus pilhando Ília. 


Não se consegue mais andar nas ruas, em lugar nenhum do Brasil, tamanho o numero de camelôs que vendem seus produtos piratas, ilegais, contrabandeados, sonegando divisas e concorrendo com os lojistas que pagam impostos, aluguéis e funcionários , desrespeitando propriedades intelectuais de todo o mundo que cria e produz, e ferindo o direito de ir e vir.

Claro que funcionários publicos cobram um pequeno pedágio ( muitas vezes até sociedade ) pra 'alugar' as nossas ruas.

Esses (poucos ) políticos flagrados pela opinião publica ainda se proclamam como perseguidos políticos. São amorais. Sacripantas. Pulhas. Escória que desafortunadamente domina muitos corações e incontáveis mentes.


A ganância de ter mais do que o outro, a exploração inescrupulosa do homem pelo próprio homem, o desrespeito às normas mais primárias e elementares disponiveis pra mínima dignidade do ser humano, essa violência estupradora de direitos do dia a dia do cidadão que paga quase quarenta por cento da sua renda de imposto, direto ou indireto, a humilhação das favelas sem esgoto, sem água, um povo pobre e imundo, lixo misturado com lixo, com "gatos", "gambiarras" ,"mutretas", três-oitão e crack pra todo lado.


Esse é o legado dos imbecis.


Abandono. Pobreza. Nojo. Podridão. E ninguém nem aí...tem coisa mais feliz que churrasco com pagode na laje ? Eu, hein..

.
Pra que saber ? Pra que se preocupar ? Se eles mesmos são felizes com o pouco que lhes foi destinado... A Plebe Rude cantou um dia : Com tanta riqueza por aí, aonde é que está , cadê sua fração ?


Ah ! Não tem escola ? Não tem hospital ? Existe déficit publico ? Corrupção ? Roubalheira ? Escândalos ? Previdência quebrada ? Europa falida ? Ricardo Teixeira ? Estádio em Itaquera ? O Zé Dirceu tá solto ? Lula pode ser analfabeto e honoris causa ao mesmo tempo ?


Não tem pão ? Come bolo !


Em compensação tem futebol,'o mehor do mundo', tem Gugu, tem Silvio Santos, tem Big Brother e tem novela ! Das cinco, das seis, das sete , das nove e ainda "O Astro" antes de dormir !


Quem pode assiste CNN, Fox News, Charlie Harper, Oprah ou Big Bang Theory ! Quem não pode, Malhação, Ratinho ou Datena pode ser uma opção ! Fala que eu te escuto, Luciana Jimenéz, esse gênio da raça !!!


Tem bolsa família, e dizem que , agora, pleno emprego e tem muito forró ( todos iguaizinhos ). Internet banda larga de 10 megas que só roda 1mega e olhe lá ( mas você paga pelos 10 do mesmo jeito, e aí de pensar em reclamar : horas esperando atendimento, pra te enrolarem e ficar na mesma. Ou fica sem internet, pô ! ) , tem playstation que roda dvd pirata, crack pra piratear o Windows, cinco reais no camelô contra quase oitocentos reais na loja, pelo mesmissimo produto.


 Tem cerveja no sábado, pizza no domingo, mas volta cedo, antes do toque de recolher não-oficial. Depois das dez, nem a polícia tá mais na rua, só os "malas", os traficantes e as putas nas esquinas...


País rico é país sem pobreza. Tá, até concordo, mas e a pobreza de espírito, vai ficar mesmo nas mãos e na conta corrente do Edir Macedo ? O dízimo alimenta a alma, o cartão do bolsa família, o estomago. Trabalhar e estudar pra quê, mesmo?


Pra que ler ? É cansativo, chato, muita letra, muita palavra difícil....Pra que ver jornal ? Saber quantos morreram assassinados na noite anterior ? Só pra ver desgraças, só bandidagem, só roubalheira, pra que saber do Bin Laden, do Hamass, do Ira, do Eta, das Farcs ? Pra que saber interpretar um texto ? Ficar incomodado, triste, indignado com as loucuras do mundo ? Pra que pensar ? É mais confortável não saber? É mais satisfatório não agir? É mais conveniente não olhar? É mais inteligente não se envolver?


Sei que sou muito chato. Eu sei. Por isso vivo só, quieto, calado, só observando. Ninguém me aguenta. Não sou mais inteligente, nem mais esperto, nem mais culto do que você ou do que algum dos personagens do começo desta conversa, ou do que ninguém, muito longe disso. Nem tenho pretensões literárias, ou políticas.


Sou apenas um espectador do caos, um voyeur indignado das putarias e safadezas humanas,  uma testemunha ocular da bestialidade contemporânea e crítico da resignação geral. Minha bi-polaridade pulsa dentro da minha ignorancia, me mantenho atento , mas impotente. Devia existir um Viagra pro QI.


E isso porque me considero apenas superficial, talvez uma pedra bruta e pouco polida, e sei que sei muito pouco perto do que gostaria de saber.


O brasileiro foi condicionado a não gostar de politica. A não querer saber. Adestrado a aceitar qualquer coisa dos ricos, bem nascidos ou poderosos, a conviver sem se importar com a miséria, com a corrupção, com os desmandos, com as decisões tomadas na calada da noite e ao arrepio da lei. Consagrou-se a alienação, a burrice, o não questionamento. Quietinho, o povo, sem dar um pio que seja. Conveniente e útil pros larápios. Acho que vou trocar Fortaleza por Pedro Juan Caballero....o que tu acha ? É melhor ser ignorante ou não ?


-Heinnnn ? Quê ? Ah, nessa cidade só tem ignorante mesmo. É na Argentina, né ( não, não é )? Esqueçe isso, cabra macho ! No fim, dá tudo certo. Se Deus quiser ! ( faz o sinal da cruz e beija o crucifixo) Foi na igreja ontem ? Arriégua ! Acende uma vela e põe na mão do hómi, isso de estudar funciona não. Tem que ter é quem indica. Aiás, esse seu papo aí foi de quem não gosta muito de mulher. Tu tá virando baitola depois de velho ? Vem cá, mas tú viu a bundinha da Matilde hoje lá no escritório ? Tú não catava não ? Ah, eu catava !!!  (Pro garçom :) Macho, traz mais uma Skol trrrrrrrincando, que essa já era !!! Bora pedir uma paneladinha , um sarrabulho ? Eita que vai começar meu Ceará...BORA VOZÃO !!!!

(uma lágrima surge em meus olhos, pano rápido, por favor... )
Postar um comentário

Comercial para TV Ripz from Marco A. Lelo on Vimeo .